Cidades da Maxixe e Massinga acolhem Inquérito Sero-epidemiológico sobre a COVID-19

Iniciou este sábado, 07.11, nas cidades da Maxixe e Massinga, na Província de Inhambane, o inquérito sero-epidemiológico sobre a COVID-19, acto que tem em vista compreender o grau de exposição dos diferentes grupos sociais e profissionais ao novo coronavírus.

A decorrer de 7 a 22 de Novembro corrente, a cerimónia de lançamento teve lugar esta manhã, na cidade da Maxixe, obedecendo dois momentos.
O primeiro momento teve lugar no Mercado Central, e orientado pela Secretária de Estado da Província de Inhambane, Ludmila Maguni, tendo interagido com os vendedores e apelou a adesão ao processo.

“Estamos aqui no mercado para informar que inicia hoje um grande e importante exercício na nossa cidade da Maxixe, que é a realização do inquérito sero-epidemiológico sobre a COVID-19, que vai permitir avaliar o nível de exposição das pessoas ao novo Coronavírus. Por isso, apelo para que todos adiram, aceitem receber as equipas da saúde para a testagem”, disse Maguni.

No segundo momento, que decorreu em um agregado familiar do bairro Chambone A, Daniel Chapo, Governador da Província de Inhambane interagiu com uma residente daquele bairro, tendo realçado a importância desta actividade e o facto da escolha na Província de Inhambane ter recaído para as Cidades da Maxixe e Massinga.

“Ao escolhermos Maxixe e Massinga para o inquérito foi pelo facto de estas duas cidades estarem localizadas no corredor da província, sendo Maxixe a capital económica e Massinga a mais populosa. Através de si, faço o apelo a todos os residentes da Maxixe e Massinga a abraçarem esta causa, aderindo ao inquérito, pois só assim poderemos compreender melhor a situação da transmissão do vírus nas duas cidades, e por inferência em toda a província”, disse Chapo.

Por seu turno, o director para a área de Inquéritos e Observação de Saúde no Instituto Nacional de Saúde, Sérgio Chicumbe, quando questionado pela imprensa sobre por que só agora é realizado o inquérito em Inhambane, considerou ser esta altura adequada para a sua implementação nas duas cidades.

Sérgio Chicumbe, director para a área de Inquéritos e Observação de Saúde no Instituto Nacional de Saúde

“Ao realizar o inquérito por esta altura nestas duas cidades vai nos permitir ter o pulsar da situação do vírus, descobrir novas cadeias de transmissão, e assessorar com os resultados obtidos a província a adoptar estratégias mais direccionadas e focalizadas aos grupos mais expostos à COVID-19”.

Chicumbe, acrescentou ainda que “esperamos divulgar os resultados deste inquérito durante a primeira quinzena do mês de Dezembro”.

Nas Cidades da Maxixe e Massinga serão abrangidas cerca de 9 mil pessoas, entre Profissionais da Saúde, Membros das Forças de Defesa e Segurança, Vendedores de Mercados formais e informais e transportadores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *