Critério da declaração de recuperado da covid-19 será revisto

Moçambique está a preparar a revisão dos critérios de declaração de indivíduos recuperados da COVID-19 de modo a adequá-los aos novos parâmetros usados pela Organização Mundial da Saúde e outros países.

Segundo explicou esta quinta-feira, o director geral adjunto do Instituto Nacional de Saúde, Eduardo Samo Gudo, falando durante a conferência de imprensa de actualização de dados da Covid-19, o país usa neste momento o critério de dupla testagem para declarar um paciente infectado pelo novo coronavírus como recuperado ou livre do vírus, sublinhando, entretanto, que já existem países que consideram o desaparecimento de sintomas da enfermidade como critério para a declaração de recuperados, seguindo, assim, as novas recomendações da OMS.

Actualmente, Moçambique usa o critério de recuperação baseado em dois testes depois de 14 dias da declaração de um indivíduo como doente da Covid-19 para a declaração de recuperados da doença, em conformidade com as recomendações emanadas pela OMS, desde o início da pandemia. Neste momento, Moçambique tem uma taxa de recuperação de doentes da Covid-19 calculada em 35 por cento dos casos registados desde o início da pandemia.

Entretanto, dados apresentados hoje indicam que o país notificou mais 60 infectados pelo novo coronavírus, elevando o cumulativo para 1.808 pacientes, dos quais 1.635 são de transmissão local e 173 importados.

Segundo a directora nacional de saúde pública no MISAU, Rosa Marlene, do total dos novos casos, 54 são cidadãos nacionais e seis estrangeiros, sendo quatro malawianos e dois indianos.

Estes casos saem de um grupo de 949 amostras testadas nas últimas 24 horas nos laboratórios nacionais do sector público, maior parte provenientes da vigilância activa e rastreio de contactos de casos positivos.

Em termos de localização, três estão em Cabo Delgado, 19 em Nampula, três na Zambézia, seis em Sofala, um em Gaza. A província de Maputo tem 19 e a cidade do mesmo nome tem nove.

Em relação aos recuperados, Rosa Marlene referiu que foram registados mais 22, elevando o cumulativo para 616 em todo o país.

Os doentes internados reduziram de nove para oito, com a concessão de alta ao que se encontrava a receber cuidados hospitalares na província de Inhambane.

Assim, o país conta actualmente com 1.808 casos notificados, dos quais 616 estão recuperados, 11 óbitos devido a doença e outros dois por outras causas.

Fale connosco acerca do COVID-19

Estamos para o servir! Questione e receba respostas.

Liga para os números acima ou preencha o formulário a seguir para receber resposta por email. Este formulário não serve para testes.