É cedo para tirar conclusões sobre a terceira vaga

– Considera Ilesh Jani, Director-geral do INS

Os dados sobre a pandemia do novo Coronavírus em Moçambique tendem a apontar para uma melhoria nos indicadores epidemiológicos. Por exemplo, a análise da situação epidemiológica emitida no último dia 16, em relação à evolução mensal de casos, hospitalizações e óbitos por COVID-19 aponta para 138.633, 6.488 e 1.731, respectivamente, apresentando uma taxa de letalidade de 1,2%.

O Diretor-geral do Instituto Nacional de Saúde (INS), Ilesh Jani, reconhece a existência do sinal de estabilização dos indicadores epidemiológicos, entretanto considera cedo, para tirar conclusões sobre a terceira vaga da COVID-19, com a qual o país se debate. Nisso, ele defende um optimismo com reservas em relação à tendência actual de melhoramento da situação.

O dirigente, que falava na manhã da terça-feira da semana finda (17), em entrevista à Rádio Moçambique, sobre a situação da COVID-19 em Moçambique e o papel das vacinas no controlo da pandemia, foi cauteloso em dizer se os referidos dados sugerem ou não uma vitória sobre a presente vaga.

Em detalhes, Jani partilhou que, na semana anterior, o país teve cerca de 6.500 casos, que são inferiores ao número de casos da semana precedente, porém é a mesma situação registada durante o pico da segunda vaga, em Janeiro e Fevereiro deste ano.

“O mesmo se pode dizer quanto aos óbitos. Na semana passada, registámos 107 óbitos, que é mais ou menos o mesmo número de óbitos que registámos durante o pico da segunda vaga”, esclareceu o entrevistado, salientando que a fase em que o país se encontra é a mesma em que estava nos primeiros dois meses do ano em curso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *