INS imuniza colaboradores

O país já está a vacinar em todas as províncias. Com o arranque da campanha de vacinação contra a Covid-19, a direcção do  Instituto Nacional de Saúde (INS) mobilizou seus colaboradores, para tomarem parte no processo de imunização no Centro de Saúde de Marracuene, distrito com o mesmo nome, na província Maputo.

A directora de Pesquisa em Saúde e Bem-Estar no INS, Sónia Enosse, fala da importância da vacinação, destacando ser importante vacinar, de forma a diminuir casos de doentes graves e, consequentemente, evitar gastos com hospitalizações, para além de reduzir ocasiões de morte pela pandemia viral.

“A COVID-19 pode causar complicações graves e pode levar à hospitalização e até à morte. As vacinas contra a Covid-19  aumentam a nossa defesa imunológica, podendo evitar que pessoas infectadas pelo coronavírus tenham doença sintomática ou que tenham sintomatologia grave ou morte”, referiu.

Acerca do receio da toma da vacina, do qual se fala por quase toda a parte, alegadamente por conta de possíveis efeitos adversos, a entrevistada encoraja a todos os contemplados a aderirem à vacinação, realçando que estudos comprovam que as vacinas da COVID-19 que estão a ser administradas são seguras e eficázes.

Ana Paula Abílio é investigadora no INS. Depois de tomar a vacina, diz estar bem. Ela partilha a sensação de missão cumprida e exorta aos demais profissionais de saúde a aderirem ao processo, explicando ser importante que todas as pessoas com condições para vacinar o façam, de modo a reduzir a pressão nas unidades sanitárias.

A entrevistada diz que, particularmente, vacinou motivada pelo facto de se estar numa situação de muitas incertezas, sendo que qualquer tipo de intevenção no controlo do SARS-CoV-2 reconhecida pelo Governo e recomendada pela Organização Mundial de Saúde é bem-vinda.

Por sua vez, o director dos Serviços Distritais de Saúde, Mulher e Acção Social (SDSMAS) de Marracuene , Francelino Devesse, que testemunhou o arranque do processo a nível daquele distrito, na companhia do administrador distrital, Shaffe Sidat, enalteceu a eleição dos profissionais da Saúde como grupo priritário, facto que, na sua opinião, revela a preocupação do Executivo em garantir a saúde daqueles que estão na linha da frente no combate à Covid-19.

Perto de 500 profissionais poderão ser vacinados em Marracuene

Francelino Devesse revelou que a entidade que dirige está preparada para vacinar 499 funcionários. Na mesma senda,  o dirigente esclareceu que vão ser administradas duas doses da vacina, separadas por um intervalo de 21 dias. O processo em curso vai decorrer durante cinco dias a contar a partir da data do arranque.

Questionado sobre a onda de desinformação, visando desacreditar o processo em referência, Devesse referiu que Marracuene não é excepção. Nisso, explicou que, em virtude desse facto, a direcção dos SDSMAS trabalhou com os seus colaboradores, no sentido de mostrar que o Governo nunca pode ter prazer de eliminar os profissionais de Saúde.

“Pelo contrário, o Governo tem preocupação de imunizá-los, de modo a não acontecer aquilo a que se assiste. Os nossos profissionais ficaram sensibilizados, por isso estão todos com vontade de apanhar a vacina”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *