Junho regista triplo de casos de Covid-19 notificados em Maio

Moçambique continua a registar um aumento progressivo de casos de infecção pelo novo coronavírus, não obstante a implementação de diversas medidas de contenção da propagação desta pandemia, nomeadamente a adopção do Estado de Emergência, já no terceiro mês, distanciamento social, uso obrigatório da máscara, lavagem regular das mãos, entre outras.

Dados apresentados na tarde deste domingo, 28.06, pelo director-geral do Instituto Nacional de Saúde, Ileshi Jani, na habitual análise da situação epidemiológica da Covid-19, indicam que o mês de Junho registou o triplo de casos notificados no mês de Maio.

No mês em curso, o país testou 17.708 amostras suspeitas e diagnosticou 605 casos, contra 8.802 amostras do mês anterior, que resultaram em 178 doentes.

“Junho testou mais do dobro do que Maio, e encontrou acima do triplo de casos que o mesmo mês”, referiu o responsável indicando que este cenário mostra que a epidemia continua a crescer.

Não obstante este aumento de amostras testadas e casos notificados, a taxa de positividade mantém-se nos 3 por cento, o que, na óptica de Jani, reflecte o padrão de transmissão por focos que caracteriza o país.

Actualmente Moçambique conta com 859 casos, dos quais 629 estão activos, 228 confirmados recuperados em laboratório e sete perderam a vida, sendo cinco pela pandemia e dois por outras causas.

Relativamente ao elevado número de doentes activos, na proporção de 73 por cento do total dos notificados, o investigador referiu que se deve ao facto de a maior parte dos casos da COVID-19 ter sido notificado recentemente.

O gráfico dos infectados pelo novo coronavírus em Moçambique continua dominado por doentes assintomáticos ou com sintomatologia leve, sendo as províncias de Nampula, Cabo Delgado, Maputo Cidade e Província os que possuem maior número de casos.

Olhando para o mundo e o continente, o especialista explicou que desde 1 de Junho até hoje o mundo apresenta um mínimo de 100 mil casos de infecção por dia, sendo que nas últimas 24 horas foram notificados mais de 180 mil novos doentes.

Ao nível do continente africano, a África do Sul continua a dominar as estatísticas, absorvendo 89 por cento do total dos casos, seguido da República Democrática do Congo, com 5 por cento.

“A África do Sul está numa fase de crescimento substancial de casos, tendo na última semana notificado entre 4 e 5 mil novos doentes/dia”, explicou, indicando que os vizinhos Malawi, Botswana estão também a ter um aumento progressivo de casos.

Neste momento, ao nível da região da SADC, o país está entre os três últimos com baixo número de casos entre 1 milhão de habitantes, sendo superado por Angola e Tanzânia, numa lista liderada pela África do Sul, E-swatini e Zâmbia. Em termos de óbitos, Moçambique tem uma taxa de 0,2 por cento, depois da Namíbia, sem casos.

Fale connosco acerca do COVID-19

Estamos para o servir! Questione e receba respostas.

Liga para os números acima ou preencha o formulário a seguir para receber resposta por email. Este formulário não serve para testes.