Massinga e Maxixe com taxas de exposição à Covid-19 mais elevadas do país

Os resultados do Inquérito Sero-epidemiológico da Covid-19 realizados nos municípios de Massinga e Maxixe, na província de Inhambane, indicam que estas duas regiões apresentam as maiores taxas de transmissão do novo Coronavírus ao nível do país, se comparado com os outros locais que acolheram este estudo.

Segundo os resultados preliminares do estudo, apresentados na tarde desta quarta-feira, 16.12, na cidade de Inhambane, durante o Comité Operativo de Emergência Provincial, nas duas  autarquias as Forças de Defesa e Segurança apresenta a maior taxa de exposição ao novo Coronavírus dentro dos grupos profissionais.

Na Maxixe, os agregados familiares tem 5.2 por cento de exposição. 

Na Massinga as Forças de Defesa e Segurança são seguidos de atendentes dos Estabelecimentos Comerciais e Vendedores de Mercados, com 18.1, 10.9 e 8.9 por cento de exposição respectivamente.

Ao nível da comunidade, a seropositividade na autarquia da Maxixe é de 5.5%, e na autarquia da Massinga é 7.4%, representando as maiores taxas já verificadas em todos os locais do país onde o inquérito foi realizado. 

Ao nível das faixas etárias o inquérito aponta que todas as faixas etárias estão expostas ao novo Coronavírus, no entanto, a exposição é maior em adolescentes, adultos e jovens.

Em reação a estes resultados, a Secretária de Estado da Província de Inhambane, Ludmila Maguni, referiu que são preocupantes, pois estão acima da média do país.

“Temos que focalizar os nossos esforços e reverter este cenário que inquieta-nos e preocupar-nos. Temos que trabalhar com os vendedores dos estabelecimentos comerciais, mercados e utentes para garantir o cumprimento das medidas de prevenção”, explicou, acrescentando que “devemos ainda intensificar a sensibilização ao nível dos bairros, pois os dados do inquérito mostram que praticamente todos os bairros de Maxixe e Massinga têm casos activos do vírus, o que desperta a nossa maior atenção e vigilância”.

Por seu turno, o director Nacional de Inquéritos e Observação de Saúde no INS, Sérgio Chicumbe, referiu que o inquérito alcançou os objectivos traçados, pois

“mapeou as áreas geográficas de maior transmissão do novo Coronavírus, caracterizou o perfil de exposição nas comunidades e grupos profissionais, para além de informar as análises situacionais e decisões epidemiológicas para reforço do controlo da pandemia”.

Director Nacional de Inquéritos e Observação de Saúde no INS, Sérgio Chicumbe

O responsável acrescentou que estes resultados irão “permitir as autoridades da província adoptar estratégias mais direccionadas para uma melhor resposta a pandemia na Maxixe, Massinga e na província, em geral”.

Refira-se que o inquérito na Maxixe e Massinga foi realizado entre os dias 8 de Novembro e 3 de Dezembro, tendo sido abrangidos mais de 8 mil pessoas.

INS-DNFCS

One thought on “Massinga e Maxixe com taxas de exposição à Covid-19 mais elevadas do país

  1. Na Maxixe onde eu resido por exemplo, nao ha observancia das medidas de prevencao. vendedores de mercados, bancas nas perferias nas diversas Localidades do Distrito funcionam sem controlo nenhum ate a calada na noite, enchentes nas cerimonias funebres.
    Os transportadores semi-colectivos e uma outra porta bem aberta para as contaminacoes. Ao invez de 3 pessoas por cadeira nos vulgos chapa100, eles colocam 5 ou mesmo 5 especilemte das 15h a diante que sabem que a Policia de Transito ja nao esta na EN1 principalmente na via, Maxixe a Cumbana. Por isso SOCOOOOORO !

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *