Moçambique mantém 17 casos da COVID-19

O país continua com 17 casos confirmados de pessoas infectadas pela doença provocada pelo novo coronavírus, depois de ontem, quarta-feira, ter aumentado em sete casos, seis dos quais resultantes de contactos do caso 10, notificado há uma semana, relacionado com um funcionário da companhia petrolífera Total, que esteve num acampamento em Afungi, em Cabo Delgado.

Falando esta tarde, em Conferência de Imprensa de actualização de dados sobre a COVID-19, a directora Nacional de Saúde Pública, Rosa Marlene, referiu que Moçambique testou, através do Instituto Nacional de Saúde (INS), até ao momento, um total de 483 casos suspeitos, dos quais 16 nas últimas 24 horas, sendo que todos revelaram-se negativos para a COVID-19.

“Assim, o país mantém-se com 17 casos confirmados da COVID-19, dos quais 9 são de transmissão local e 8 importados”, referiu.

Em relação aos sete casos detectados ontem, o INS está a trabalhar no rastreio dos contactos, tanto em Maputo, assim como em Cabo Delgado.

Aliás, o director-geral adjunto do INS, Eduardo Samo Gudo, referiu que a equipa de especialistas que viajou a Afungi para o rastreio dos contactos do 10º caso, e que devia ter regressado ontem a Maputo com o remanescente das amostras colectadas, teve de permanecer em Afungi para mapear os contactos dos cinco casos positivos que se encontram naquele ponto.

O Governo reiterou a necessidade da contínua observância e cumprimento rigoroso das medidas de prevenção recomendadas pelas autoridades da saúde, em especial o distanciamento social, lavagem frequente das mãos, entre outras.