Moçambique regista mais nove casos de Covid-19

O país registou mais nove casos de infecção pelo novo Coronavírus, passando a ter um cumulativo de 316 casos positivos confirmados em laboratório, dos quais 109 são dados como completamente recuperados e mantém os dois óbitos e um internado.

A directora Nacional de Saúde Pública, Rosa Marlene, falando esta quarta-feira, 03 de Junho, na habitual conferência de imprensa de actualização de dados sobre a Covid-19, disse que os nove casos positivos saem de um lote de 324 amostras testadas nas últimas 24 horas.

No mesmo contexto, a dirigente esclareceu que as amostras em referência resultam da actividade de rastreio de contactos e vigilância activa nas Unidades Sanitárias.

Dos casos hoje reportados, quatro são da província de Niassa (três do distrito de Lago e um de Mavago), quatro são da província de Maputo e um da Cidade com o mesmo nome. Desses indivíduos, cinco apresentam sintomatologia leve a moderada e quatro sem qualquer sintomatologia, “por esse motivo todos se encontram em isolamento domiciliar e neste momento decorre o processo de mapeamento dos respectivos contactos”.

Em esclarecimento aos jornalistas, o director-geral adjunto do Instituto Nacional de Saúde (INS), Eduardo Samo Gudo, disse que a curva epidemiológica de Moçambique em relação à Covid-19 é tendente a uma transmissão comunitária, contudo deixou claro que o país ainda não preenche os requisitos estabelecidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para que seja considerada como tal.

Não obstante, Samo Gudo disse que o facto desafia o Sistema Nacional de Saúde a desenvolver cada vez mais esforços para travar o avanço da pandemia no país.

Segundo o responsável, Moçambique está entre os 30 países com a maior velocidade de transmissão do novo Coronavírus no mundo e isso sugere a intensificação das medidas de prevenção.

Por sua vez, a dirigente de Saúde Pública no MISAU chamou atenção a todos os que estão em quarentena ou em isolamento domiciliar, para cumprir rigorosamente as medidas de prevenção e apelou a todos os moçambicanos a evitar situações de estigma e discriminação, uma vez que estes comportamentos podem contribuir negativamente no combate a esta pandemia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *