Moçambique soma 20 mortes por COVID-19

O Ministério da Saúde anunciou hoje, 20.08, a morte de três doentes com infenção da Covid-19, sendo que um foi vítima da doença e outris dois por outras causas.

Segundo explicou a directora nacional de Saúde Pública no Ministério da Saúde, Rosa Marlene, o óbito provocado pela Covid-19 é um indivíduo de 40 anos de idade e do sexo masculino. O mesmo deu entrada no Hospital Central de Maputo no dia 13 de Agosto, com quadro de doença respiratória grave. Foi testado para o SARS Cov2 no dia da sua admissão e foi transferido para o Centro de Isolamento da COVID-19, no Hospital Geral da Polana-Caniço, onde veio a ser declarado óbito no dia 18 de Agosto.

Em relação aos outros dois óbitos, eram doentes da Covid-19, mas perderam a vida por outras causas, sendo uma vítima de acidente de viação e outro por uma doença crónica grave, depois de ter sido submetido a uma cirurgia. Ambos perderam a vida na cidade de Maputo.

Com estes óbitos, o país já conta com 20 perecidos devido a pandemia e quatro por outras causas.

Paralelamente, houve a notificação, nas últimas 24 horas, de mais 70 casos positivos do novo Coronavírus, elevando o cumulativo para 3.115 casos, onde 2.882 são de transmissão local e 233 importados.

Segundo Rosa Marlene, os novos doentes saem de um grupo de 1.351 amostras testadas nos laboratórios nacionais do sector público e privado, e todos provêm de acções de vigilância activa nas unidades sanitárias e rastreio de contactos de casos positivos.

Segundo explicou a dirigente, dos novos infectados, quatro são de Cabo Delgado, três de Nampula, seis de Tete, dois de Gaza, 17 da província de Maputo e 38 da cidade do mesmo nome.

Todos são cidadãos de nacionalidade moçambicana e “encontram-se em isolamento domiciliar, ao mesmo tempo que decorre o processo de rastreio dos seus contactos”.

Neste momento, Moçambique tem onze pacientes infectados pela Covid-19 sob, cuidados hospitalares nos centros de isolamento.

Sobre os recuperados, anunciou o registo de mais 89 indivíduos curados, sendo 44 da província de Cabo Delgado, um da Zambézia, 15 de Gaza e 20 da província de Maputo.

Em esclarecimento a jornalistas, o director nacional de Inquérito e Observação em Saúde no INS, Sérgio Chicumbe, disse que a testagem constitui um dos elementos fundamentais para o controle da pandemia, contudo a quarentena e o isolamento social destacam-se como sendo fundamentais, uma vez que reduzem ainda mais a possibilidade de indivíduos assintomáticos contaminarem os outros.

Sobre a prevenção da convid-19, Chicumbe apelou a necessidade da intensificação das medidas de prevenção e acrescentou que a educação cívica desempenha um papel fundamental no combate a esta pandemia.

Refira-se que Moçambique tem um cumulativo de 82.264 pessoas testadas para a Covid-19.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *