TERCEIRA VAGA DA COVID-19 NO PAÍS: Prontidão deve se basear no realismo e evidência científica

O ministro da Saúde, Armindo Tiago, falando na manhã de hoje (16), na abertura da II Conferência Científica sobre a COVID-19, organizada pelo Instituto Nacional de Saúde (INS), em parceria com a Rádio Moçambique (RM), Televisão de Moçambique (TVM) e Sociedade do Notícias (SN), falou da necessidade de o país se preparar para uma eventual terceira vaga da COVID-19, não com base no pânico, mas sim no realismo e evidência científica.

“Devemos nos preparar simultaneamente em duas frentes. Por um lado, devemos reforçar a implementação das medidas de prevenção da COVID-19 e, por outro, continuaremos a fortalecer o sistema de Saúde, para fazer face a um possível aumento do número de doentes internados”, referiu.

Tiago disse que depois de enfrentar as duas vagas passadas, Moçambique está a preparar-se para o cenário moderado a pior, numa altura em que países como África do Sul, Namíbia e Zâmbia já sofreram os efeitos da terceira vaga, que é de intensidade superior em relação às duas anteriores.

“A pandemia da Covid-19 ainda está longe do fim. O relativo sucesso que tivemos até agora, no seu controlo, não deve servir para aumentar a ilusão de que vencemos a pandemia. O relaxamento precoce pode ter consequências dramáticas, como é ilustrado pela situação trágica vivida em alguns países da América do Sul e da Ásia”, disse.

Na ocasião, o director-geral do INS, Ilesh Jani, explicou que a II Conferência Científica sobre a COVID-19 decorre na vertente de geração, promoção e incorporação da evidência científica pela instituição que dirige.

“A divulgação e o debate são elementos essenciais para a geração de evidência científica. É nesse contexto que realizámos, em Junho do ano passado, a primeira, e, hoje, iniciamos a segunda Conferência Científica sobre a Covid-19”, esclareceu.

Ilesh Jani, Director-geral do INS

Os presidentes do Conselho de Administração da SN e da TVM, Júlio Manjate e Faruco Sidique, repectivamente, e o representante do PCA da RM, António Barros, partilharam as iniciativas e acções que os órgãos de Comunicação Social que dirigem têm estado a realizar no combate à pandemia, através da difusão de informações e programas de sensibilização da sociedade para o cumprimento das medidas de prevenção contra a pandemia.

O evento em referência tem lugar no Centro de Conferências Joaquim Chissano, devendo terminar esta quinta-feira, e tem como parte de temas de discussão a “Eficácia das vacinas”, “Mortalidade” e “Variantes da COVID-19 em Moçambique”, que são discutidos por especialistas e académicos de diversas áreas. (X)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *