INAE detecta álcool desinfectante falso no mercado

Coronavirus

A Inspecção Nacional de Actividades Económicas (INAE) deu a conhecer este sábado, em Conferência de Imprensa de actualização de dados sobre a Covid-19, que mandou encerrar 2 mil estabelecimentos comerciais, dos mais de 8 mil inspeccionados, entre restaurantes, bares e ginásios.

Segundo Tomás Timba, inspector da INAE, entre as irregularidades detectadas e obrigaram a medida, está “o incumprimento da norma do distanciamento social e a inobservância do horário de funcionamento”.

Ainda na sequência das acções inspectivas, a INAE detectou três casos de venda de álcool desinfectante em alguns estabelecimentos que não possui o teor alcoólico de 70 por cento recomendados, o que levou a sua retirada das prateleiras.

“Na Cidade de Maputo foram colhidas amostras de álcool desinfectante comercializado em alguns estabelecimentos, tendo três se revelado não conter o teor do álcool apresentado no rótulo, o que levou a sua retirada das prateleiras, pois não obedecem aos parâmetros indicados pelas autoridades de Saúde em termos de concentração do álcool para desinfecção”, disse.

Na ocasião, Jorge Miambo, porta-voz do Instituto Nacional dos Transportes Terrestres, esclareceu que “o uso de máscaras é obrigatório nos transportes públicos e privados”, sendo que para viaturas particulares não se aplica esta obrigatoriedade, lembrando, entretanto que todo o cidadão tem a obrigatoriedade de usar a máscara em locais públicos, em aglomerados e nos transportes.