Maior parte das pessoas expostas à COVID-19 não apresenta sintomas

Os resultados preliminares do Inquérito sero-epidemiológico sobre a Covid-19 na cidade de Maputo, realizado de 3 a 24 de Agosto, divulgado hoje, 31.08, pelo Instituto Nacional de Saúde (INS), delegação de Maputo, mostram que pessoas na faixa etária dos 15 a 34 anos são a mais expostas ao novo coronavírus, seguido dos que se encontram na faixa etária dos 60 para cima.

Porém, de acordo com a delegada do INS, Edna Viegas, o inquérito, que abrangeu 10.237 pessoas, entre vendedores de mercados, profissionais da saúde, polícias, militares, agregados familiares, transportadores, funcionários dos aeroportos e outros grupos, concluiu que a maior parte das pessoas expostas ao vírus, isto é, a que foi testada e acusou positivo, não apresentou nenhuma sintomatologia que indicia a presença da doença nos 30 dias que antecederam o inquérito, na ordem de 71 por cento. Outros 29 por cento tiveram alguma sintomatologia, nomeadamente tosse, fadiga, dor de cabeça, febre, dor de garganta, dor nas articulações, dificuldade respiratória, coriza, entre outras.

No geral, o inquérito apurou para uma prevalência da doença na ordem de 3,79 por cento na comunidade, sendo o distrito de Kalhamankulo, nos arredores da cidade de Maputo, o mais exposto à Covid-19, com uma taxa de cerca de 5 por cento, superior à média da cidade.

O estudo indica que de um modo geral, todos os distritos estão expostos, mas KaMabukwana, Katembe e KaMaxakeni seguem Kalhamankulo, com seroprevalência que se situa acima da média da cidade. O distrito de Kanyaka apresenta a menor taxa de positividade, com 0.42 por cento.

Em relação aos vendedores de mercados, o inquérito revela ainda que continuam a ser o grupo mais exposto, depois do mesmo ter sido constatado nas cidades de Nampula e Pemba.

“Todos os grupos profissionais que foram incluídos neste inquérito estão afectados pela Covid-19. Tal como aconteceu nos outros inquéritos, nota-se maior expressão nos outros mercados, com uma taxa de positividade de 5.22 por cento, seguem os estabelecimentos comerciais e as forças policiais”, explicou Edna Viegas.

A fonte ressaltou que, de uma forma geral, todos os mercados estão expostos, e o mercado do Peixe, Xipamanine (Formal e Informal) e o mercado da praça dos combatentes são os mais expostos à doença.

Edna Viegas, delegada do INS na Cidade de Maputo

Falando na ocasião, o ministro da Saúde, Armindo Tiago, referiu que os resultados apresentados, embora preliminares, são de extrema importância para a intensificação das acções de controlo direccionadas aos locais e grupos populacionais mais expostos, com vista a assegurar maior eficiência das intervenções.

Por isso, já estão em curso acções prioritárias para alterar o cenário na urbe, nomeadamente a massificação das acções de envolvimento comunitário nas acções de resposta à doença, reorganização dos mercados, fortalecimento das acções de higiene e saneamento, para além da implementação da Campanha de Combate ao Estigma e Discriminação contra a Covid-19 e introdução de um sistema de envio de resultados de testagem por telefonia móvel.

O Inquérito sero-epidemiológico tinha como objectivo identificar e mapear as áreas de maior transmissão do novo coronavírus, identificar os grupos etários e os profissionais mais afectados.

A recolha de dados foi electrónica, com recurso a tablets ou smartphones, de modo a garantir o controlo em tempo real dos mesmos, e consistiu na administração de um questionário adequado ao modelo da OMS para inquéritos de SARS-CoV-2 e um teste rápido qualitativo a base de sangue para detectar a presença de anticorpos contra o novo coronavírus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *