Moçambique ultrapassa barreira de mil casos da COVID-19

O Ministério da Saúde (MISAU) anunciou esta segunda-feira, 06 de Julho, a notificação de mais 25 casos de infecção pelo novo coronavírus no país, atingindo a cifra de 1012 pessoas detectadas com o vírus desde a eclosão da pandemia, dos quais 930 de transmissão local e 82 importados.

Segundo a directora nacional de Saúde Pública, Rosa Marlene, os novos casos saem de um lote de 911 amostras testadas nas últimas 24 horas nos laboratórios nacionais do sector público e privado, e resultam da vigilância activa nas unidades sanitárias e rastreio de contacto de casos positivos.

Em termos de distribuição, onze dos novos casos são da cidade de Maputo, três de Gaza e igual número para Cabo Delgado. A província de Nampula tem cinco casos e outros dois estão em Niassa e Tete.

Segundo Marlene, todos os infectados são de nacionalidade moçambicana e estão todos em isolamento domiciliar.

Sobre os recuperados, a responsável indicou que mais sete pessoas estão livres da COVID-19, elevando o cumulativo para 277.

Por outro lado, referiu que seis pessoas continuam a receber cuidados hospitalares, sendo que um está na província de Inhambane, dois em Gaza, um na província de Maputo e outro na cidade de Maputo.

Ainda nesta segunda-feira, foi feita a análise epidemiológica semanal de evolução da COVID-19 no país e no Mundo.

Na ocasião, o director-geral adjunto do Instituto Nacional de Saúde, Eduardo Samo Gudo, que efectuou a apresentação, referiu que os números de novos casos da COVID-19 não param de crescer no país, indicando que no mês de Março foram notificados apenas oito casos, contra 635 infectados de Junho. Neste mês de Julho, passados seis dias, já foram contabilizados 123 casos de infecção, o que mostra que ainda podem ser registados muitos casos neste mês, tendo em conta que ainda faltam 26 dias para o término do mês.

Samo Gudo explicou que no mês de Março foram testadas 267 amostras, contra 18.639 de Junho. No presente mês de Julho já foram contabilizados 4.519 amostras testadas nos laboratórios nacionais dos sectores público e privado.

Sobre a taxa de positividade nas duas províncias descritas com padrão de transmissão comunitária, nomeadamente Nampula e Cabo Delgado, o dirigente indicou que a primeira apresenta 11,50 por cento, bem alta que a média do país, que é de 3 por cento. Já Cabo Delgado está nos 6,10 por cento, duas vezes que a média nacional.

Refira-se que o país tem um cumulativo de 1.256.727 pessoas rastreadas para a COVID-19 nos diferentes pontos de entrada. Destas, 20.868 foram submetidas à quarentena domiciliar e neste momento 2.301 pessoas continuam em observação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *