Quarta vaga é uma possibilidade real para Moçambique

Numa entrevista à Rádio Moçambique, que teve lugar na terça-feira da semana finda (17), o Director-geral do Instituto Nacional de Saúde (INS), Ilesh Jani, disse que a quarta vaga da pandemia da COVID-19 já está a acontecer em vários locais geográficos, fora de Moçambique, a exemplo de alguns países da Europa e África.

Com as afirmações acima, Jani respondia à pergunta sobre se a quarta vaga é ou não uma possibilidade real que deve preocupar a sociedade moçambicana.

“No continente africano, um exemplo típico de um país que vive a quarta vaga é o Quénia. Portanto, não temos razões, para acreditar que a quarta vaga não virá. Ela vai, com certeza, acontecer, porque o vírus se disseminará sempre que houver condições para tal”, assegurou.

Acerca dos factores que favorecem a disseminação do vírus, o dirigente sublinhou as questões ligadas à interacção entre os seres humanos, sendo esta que propicia a transmissão, e a imunidade contra o vírus, que confere alguma resistência.

Segundo o entrevistado, relativamente à quarta vaga, as dúvidas estão apenas à volta da intensidade, sendo que esta vai ser determinada por uma série de factores, que inclui a possibilidade de surgimento de novas variantes.

“O estudo da epidemia, em outros países, indica que uma quarta vaga é uma possibilidade real para o nosso país”, vincou Jani.

Questionado sobre se o processo de vacinação massiva, que terminou no último dia 18, pode ajudar na prevenção ou não da quarta vaga, Ilesh Jani assegurou que a imunização vai contribuir na prevenção dos efeitos da referida vaga.

“O que nós queremos é que, mesmo que a quarta vaga surja, não tenha um impacto muito negativo na nossa sociedade. A vacinação vai, com certeza, nos proteger contra os impactos duma quarta vaga e está demonstrado que todas as vacinas disponíveis, neste momento, têm a capacidade de proteger contra doença grave e contra morte, independentemente da variante”, indicou.

O entrevistado referiu, na mesma senda, que há três aspectos a ter em conta na preparação para a quarta vaga, nomeadamente continuar a reforçar o sistema de saúde, de modo que este tenha capacidade de comportar as pessoas que desenvolvem doença grave e que precisam, por isso, de atenção especializada; o novo normal, que regula a interacção entre as pessoas, e a vacinação, que tem como principal objectivo proteger as pessoas contra a doença grave e morte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *