Registados dois casos suspeitos da variante Ómicron no país

O ministro da Saúde, Armindo Tiago, anunciou, esta terça-feira, a detecção de dois casos suspeitos da infecção pela nova variante de SARS-CoV-2, denominada Ómicron. Os dois casos foram notificados nas províncias de Maputo e Inhambane, porém sem histórico de viagens.

Falando em conferência de imprensa para a partilha da situação epidemiológica de Moçambique, o governante referiu que os casos ora reportados, foram detectados a partir da retestagem de todas as amostras positivas do mês de Novembro. Indicou, porém, que os referidos casos suspeitos serão confirmados nos próximos dias, através do sequenciamento genético.

“Nenhum dos dois casos tem histórico de ter viajado para fora do país, portanto, até que se prove o contrário, nos parece que são mutações que devem ter ocorrido a nível local, a não ser que eles tenham estado em contacto com alguém com histórico de viagem”, explicou.

Relativamente ao estado de saúde dos casos suspeitos, Armindo Tiago referiu que um dos indivíduos era assintomático e o outro apresentava sintomatologia leve, o que ao seu ver é outro aspecto “importante”, sobretudo no entendimento das formas graves da variante.

Apesar da suspeita de circulação de uma nova variante no país, o dirigente apela à tranquilidade, pois, “não há razões para pânico”.

“Queremos apelar à serenidade e assegurar que não há motivos para pânico porque o nosso país continua a registar uma situação epidemiológica favorável. Não há evidência científica que tenha demonstrado maior potencial de transmissão da variante Ómicron, e mais importante, que esta cause doença mais grave ou escape à protecção gerada pelas vacinas”, acrescentou.

Esta terça-feira o país registou 20 casos de infecção pelo novo coronavírus, 22 recuperados, um internado e sem óbitos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *